COVID-19 NO ESTADO DE MINAS GERAIS: ANÁLISE ESTATÍSTICA DO NÚMERO DE ÓBITOS RELACIONADO À POPULAÇÃO ESTIMADA DOS MUNICÍPIOS MINEIROS UTILIZANDO O SOFTWARE MAPLE®

  • Ellen Werneck Resende Faculdades Integradas de Cataguases (FIC) - Grupo Unis
  • Luany Dinalva Tavares
  • Tiago Bittencourt Nazaré
  • Loaisy Machado Rodrigues
Palavras-chave: Coronavírus, Óbitos, Estatística, Minas Gerais

Resumo

O COVID-19 trata-se de uma doença infecciosa causada pelo coronavírus. Esse resultou em uma pandemia que se espalhou por cidades do mundo inteiro, infectando suas populações e, em muitos casos, levando a óbito. Nesta perspectiva, o objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo analisando o cenário da COVID-19 no estado de Minas Gerais antes de iniciar a vacinação, através de dados extraídos diretamente da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, para desenvolver o trabalho fez-se necessário utilizar as ferramentas Microsoft Excel 2016 e Maple 17 com o intuito de organizar os dados, realizar cálculos e análises estatísticas da amostra, como, por exemplo: média, desvio padrão, variância e curtose. Através dos cálculos citados foi possível gerar gráfico e visualizar o cenário das cidades mineiras frente à pandemia. Ao final da análise dos resultados, observou-se que a cidade que obteve o pior cenário frente à pandemia foi Aracitaba, com 2.059 habitantes e 7 óbitos. Já a cidade que obteve o melhor cenário foi Berilo, com 11.872 habitantes e apenas 0 óbitos. Mas, é importante ressaltar que através dos cálculos estatísticos evidenciou-se que as cidades mineiras tiveram comportamentos bem semelhantes, pois não houve muita variação nos resultados obtidos.

Publicado
2021-06-28
Como Citar
Werneck Resende, E., Dinalva Tavares , L., Bittencourt Nazaré, T., & Machado Rodrigues, L. (2021). COVID-19 NO ESTADO DE MINAS GERAIS: ANÁLISE ESTATÍSTICA DO NÚMERO DE ÓBITOS RELACIONADO À POPULAÇÃO ESTIMADA DOS MUNICÍPIOS MINEIROS UTILIZANDO O SOFTWARE MAPLE®. Revista Mythos, 15(1), 20-30. https://doi.org/10.36674/mythos.v15i1.545
Seção
Artigos